Em busca do equilíbrio

Há cerca de 1 ano, assisti uma palestra motivacional de um renomado profissional em TI, que pronunciou a seguinte frase:

“Após alguns anos de trabalho árduo, a minha maior conquista foi conseguir alcançar o equilíbrio: faço tudo o que almejo, mas nem muito, nem pouco. “

Aquela frase, ao mesmo tempo em que soou interessante, me pareceu algo tão longe, já que naquela época me encontrava em uma situação bem diferente: estava trabalhando cerca de 90 horas por semana, e para piorar, este tempo era dividido em três empregos (dois como CLT e um temporário). Apenas para efeito de comparação, uma semana possui 168 horas, ou seja, eu estava em uma situação onde trabalhava, em média, quase 13 horas por dia. Naquela época, não conseguia enxergar nada além de trabalho e descanso, ou seja, quando não estava trabalhando, só queria descansar, dormir e não pensar em absolutamente nada. Quando cheguei ao extremo de atravessar algumas noites trabalhando, tomando alguns energéticos por dia, a frase mencionada pelo palestrante começou a surtir efeito na minha mente, e com isso, finalmente o mundo parou de girar em torno de variáveis que sempre considerei primordiais como: trabalho, aprendizado, conhecimento técnico e excelência.  Não estava retirando a importância destas variáveis, apenas estava dizendo para mim mesmo que o mundo não podia mais girar apenas em torno disso. Desta forma, percebi de uma vez por todas que a minha vida precisava de equilíbrio. E só tenho que agradecer a Deus por não ter descoberto da pior forma, ou seja, perdendo a saúde.  

Com uma nova meta traçada, a primeira atitude tomada foi honrar os compromissos marcados e evitar criar novos. No meu caso, dois destes serviços estão vinculados a aulas em faculdade, consequentemente precisava honrar as que estavam marcadas, mas sempre com liberdade de pedir redução para próximos módulos ou períodos. Com isso, aos poucos consegui reduzir e, há cerca de um mês, meu tempo de trabalho chegou a ser reduzido em 1/3, ou seja, para 60 horas semanais, divididos em dois empregos, com os finais de semana totalmente livres.  Contudo, nos três primeiros finais de semana, meu tempo livre praticamente se restringiu a games, filmes e passeios. Então, rapidamente comecei a perceber que, até neste aspecto, os extremos são perigosos, e simplesmente sair de um extremo e ir até outro não resolverá em nada. Com isso, neste último final de semana, finalmente consegui colocar em prática a frase mencionada pelo palestrante, aproveitando o tempo livre para concretizar as atividades abaixo:

Um pouco de tempo para estudos e compromissos com as aulas;
Um pouco de tempo para games e filmes;
Um pouco de tempo para namorar a esposa;
Um pouco de tempo para Deus com orações;
Um pouco de tempo para a família;
Um pouco de tempo para praticar esportes;
Um pouco de tempo para compras no Shopping;
Um pouco de tempo para ficar sem fazer nada, apenas refletindo;
Um pouco de tempo para atualizar o blog;
Um pouco de tempo para fazer uma faxina e organizar a casa;
Um pouco de tempo para assistir TV e navegar na internet.
 

Ao término do final de semana, a satisfação foi única, com um sentimento de tempo aproveitado, de dever cumprido, e de satisfação, ao invés do sentimento de escravidão que persistia há tanto tempo. Sei que a frase pode parecer exagerada, mas só quem gastou alguns anos da sua vida trabalhando 12 horas por dia, incluindo alguns sábados e domingos, pode entender.

Para o próximo semestre, a minha previsão de trabalho semanal será de 52 horas, ou seja, estarei mais próximo do tão sonhado equilíbrio, ganhando em qualidade de vida e satisfação pessoal. E assim quero viver para sempre, dentro do equilíbrio, nem muito nem pouco, apenas o suficiente.

About CarlosEduardoXP

Especialista em desenvolvimento de Sistemas Distribuídos, sempre aplicando boas práticas e padrões difundidos na comunidade. Auto didata, fanático por refatoração e performance, sempre buscando reutilização e testes automatizados cada vez mais eficazes.
This entry was posted in Software Development. Bookmark the permalink.

One Response to Em busca do equilíbrio

  1. Ecson says:

    Está pratica já faz parte da minha vida, pena que nem sempre sigo ao pé da letra. Vou tenta fazer assim estruturado…hehehe Ou tem como fazer o equilibrio em POO?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s